Futuro do Bitcoin: quanto essa tecnologia impactará no uso do dinheiro físico?

Entusiastas do mercado de criptomoedas, pelo menos uma vez na vida, já devem ter se perguntado: qual será o futuro do Bitcoin no Brasil e no mundo? O questionamento pode soar um tanto estranho, afinal, estamos nos referindo ao possível “dinheiro do futuro” — ou seria ao futuro do dinheiro? Precisaremos acompanhar a sua evolução para saber!

Justamente sobre esse processo de potencial crescimento é que as expectativas quanto ao seu impacto no dinheiro físico e no mercado financeiro caem.

Uma ideia do aumento do uso do Bitcoin pode ser visto em uma pesquisa da empresa CoinPayments, processadora de pagamentos de criptoativos, a qual foi divulgada no site Future of Money, da Exame.com.

De acordo com o levantamento, três a cada quatro transações realizadas com criptomoedas, aqui no nosso país, são com Bitcoin.

Isso leva a crer que o ativo digital já começa a ser visto como um meio de pagamento, e não apenas como uma moeda virtual com a função de negociações de compra e venda.

Se essa é uma verdade, mais uma vez volta a dúvida inicial: o que esperar do futuro do Bitcoin e quanto ele pode afetar o dinheiro físico com a sua tecnologia? 

Quer saber essas respostas? Então, continue a leitura deste artigo! 

O que esperar do futuro do Bitcoin?

Já dizia a famosa canção: “Como será o amanhã, responda quem puder…”. Com um nível de dúvida parecido, quem tem criptomoedas questiona sobre o futuro do Bitcoin.

Sobre isso, podemos começar citando uma atualização que recebeu o apelido de “taproot”. A notícia foi divulgada no portal The Block e citada em uma publicação do site E-investidor, do Estadão.

Esse upgrade tem por objetivo implementar a base necessária para que possam ser executados contratos inteligentes na rede, bem como o aumento da privacidade das pessoas que usam o protocolo do Bitcoin e da escalabilidade da moeda.

Mas já que estamos falando sobre o possível futuro do Bitcoin, é essencial cogitar a possibilidade de essa moeda digital acabar — afinal, nada dura para sempre, ou dura?

Uma matéria da CNN Brasil relembrou que o Bitcoin tem uma quantidade limite que pode ser minerada, que é de 21 milhões. No entanto, até o mês de novembro de 2021, mais de 18 milhões de Bitcoin já haviam sido processados.

Seria esse um chamado para os interessados nesse criptoativo “correrem” em busca das suas fatias? 

Seguindo essa trilha de como se comportará o Bitcoin, talvez a moeda do futuro, chegamos ao seu uso nos meios de pagamento

A Visa, empresa voltada para soluções de pagamentos eletrônicos, anunciou em publicação do site Seu Dinheiro que pretende implementar a opção de criptomoedas, especialmente o Bitcoin, no seu portfólio.

A Mastercard, companhia do mesmo segmento, também está seguindo o mesmo caminho, segundo divulgado no site Future of Money, do Exame.com 

Ou seja, tudo indica que, futuramente, pagar uma compra com Bitcoin será tão fácil e rápido quanto fazer um Pix.

Quanto essa tecnologia impactará no uso do dinheiro físico?

Ainda pensando nos meios de pagamento, é preciso abordar também quanto o futuro do Bitcoin impactará o uso do dinheiro físico. 

Sobre isso, podemos usar El Salvador como exemplo. No dia 7 de setembro de 2021, o Bitcoin foi anunciado como uma das moedas oficiais do país, tornando o local o primeiro do mundo a fazer essa mudança.

Na prática, os estabelecimentos comerciais deverão se preparar para aceitar a moeda digital quando ela for oferecida como meio de pagamento. No entanto, os cidadãos não são obrigados a adotá-la, o que torna a sua adesão opcional para a população. 

Somando essa medida às previstas pelas empresas de meios de pagamento que citamos, a tendência é que o Bitcoin faça parte natural dos métodos de pagamentos digitais e, com isso, engrosse o grupo de soluções que têm grande potencial de tornar o dinheiro impresso obsoleto futuramente.

5 exemplos de inovações que envolvem a tecnologia Bitcoin

E quais inovações do Bitcoin podem afetar esse mercado? De acordo com informações do site Bitcoin.org, o protocolo desse criptoativo não se limita ao envio de dinheiro entre dois pontos.

Sua tecnologia conta com vários recursos já explorados pela comunidade, e outros que ainda estão sendo desbravados. Alguns dos que já podem ser utilizados são:

  • acessibilidade global;
  • eficiência de custos operacionais;
  • controle antifraude;
  • micropagamentos;
  • solução para doações e gorjetas.

Acessibilidade global

A tecnologia do Bitcoin possibilita que transações financeiras, independentemente da sua origem, sejam realizadas com segurança de e para qualquer lugar do mundo.

Isso torna as operações efetuadas com base nesse sistema interoperacionais, isso com ou sem conta bancária.

Um dos pontos positivos dessa acessibilidade global é que o Bitcoin pode fomentar o comércio eletrônico internacional, contribuindo para a expansão desse setor.

Eficiência de custos operacionais

Devido ao uso da criptografia, as transações financeiras podem ser realizadas sem a necessidade de vários intermediários. Além de aumentar a segurança do processo, isso tende a diminuir os custos operacionais das operações de transferência de valores e pagamentos.

Controle antifraude

Também por conta da criptografia, o Bitcoin atribui uma camada de segurança mais expressiva às movimentações financeiras. Isso contribui para reduzir, ou praticamente eliminar, o risco de possíveis fraudes.

Micropagamentos

Uma das grandes inovações do Bitcoin é a possibilidade da realização de micropagamentos. Por exemplo, permitir que uma pessoa dê uma contribuição a um site, ou que contrate alguns minutos de banda larga.

Solução para doações e gorjetas

Mais um serviço que pode ser melhorado com a tecnologia do Bitcoin são os voltados para doações e pagamento de gorjetas.

A sua tecnologia permite, com poucos cliques, o envio do valor desejado, com total segurança, transparência e rapidez.

Um último detalhe que você precisa saber sobre o futuro do Bitcoin no Brasil é que o Banco Central está prevendo a regulação das criptomoedas. Em um primeiro momento, os ativos digitais serão considerados investimento e, mais adiante, como meio de pagamento.

Com tantas possibilidades e tendências, é bem importante que você fique por dentro das novidades do mundo das criptomoedas para manter a sua carteira sempre interessante!
Este artigo foi escrito pela Bitso, exchange internacional de criptomoedas na qual você pode comprar, guardar e vender os seus criptoativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.