O que é um ativo digital e qual o seu papel no mercado financeiro?

A tecnologia aliada ao mercado financeiro já oferece formas mais digitais, práticas e eficientes de nos relacionarmos com o dinheiro. Neste novo palco de negociações disponíveis graças à internet, os ativos digitais são grande parte dessa revolução.

Eles permitem formas descentralizadas de trabalhar o dinheiro, pois não possuem políticas reguladas por um Banco Central, metas de inflação ou interferência estatal. 

Esses ativos são negociados em blockchains, uma tecnologia que protege as compras e transferências por meio da criptografia e armazena todas as informações em computadores. 

Com isso, intermediadores e burocracias são reduzidos, garantindo transações mais rápidas, democráticas e seguras, pois esta tecnologia também tem o poder de evitar fraudes e gastos duplos.

O futuro desse novo mercado financeiro está sendo construído com base nas transformações digitais, mas já é possível ter um vislumbre sobre ele.

De acordo com um estudo conduzido pela Fidelity Digital Assets, 7 em cada 10 investidores institucionais pretendem aportar em ativos digitais no futuro.

Além disso, mais da metade dos 1,1 mil entrevistados a pedido da Coalition Greenwich entre dezembro de 2020 e abril de 2021, afirmaram que já possuem um projeto de ativo digital.

Ficou interessado em saber mais sobre esse conceito? Nos acompanhe até o fim da leitura, pois vamos esclarecer o que é um ativo digital e também montamos um passo a passo para avaliar o projeto de um criptoativo. 

O que é um ativo digital e quais as suas vantagens? 

Para começar a entender o que é um ativo digital, podemos resumi-lo da seguinte forma: qualquer conteúdo encontrado no ambiente digital.

É isso mesmo que você deve estar pensando agora. Textos, sites, imagens, bases de lead, softwares e blogs de empresas são exemplos de ativos digitais.  

Um arquivo precisa ser fácil de localizar e acessar, assim como ter processamento feito com a ajuda de metadados que gerenciam sistemas para ser considerado um ativo digital.

A categoria que mais se destaca, entretanto, são os ativos digitais financeiros descentralizados, como as criptomoedas.

Mesmo que você não saiba muito sobre esse conceito, já deve ter ouvido falar do primeiro ativo digital: o Bitcoin (BTC) que, apesar de ter se popularizado em 2021, nasceu em 2009 e é o ativo mais consolidado do mercado.

Ethereum (ETH) e Litecoin (LTC) também são criptoativos que se sobressaem graças a sua alta valorização e segurança garantida pela tecnologia blockchain, que registra transações de forma descentralizada e transparente.

Os ativos digitais como forma descentralizada de trabalhar o dinheiro ainda são uma novidade. Porém, já é possível apresentar várias vantagens da economia digital em relação à tradicional:

  • acessibilidade e democratização do acesso;
  • proteção por meio da criptografia;
  • não envolve instituições intermediárias;
  • custos baixos de transações e baixas tarifas;
  • alta valorização constante;
  • retornos significativos.

Certamente a acessibilidade é a principal vantagem dessa classe. Afinal, se a internet é o ecossistema de negociação, as barreiras impostas pela localização e por moedas nacionais são rompidas.

Além disso, esse mercado opera 24 horas por dia, e os preços das unidades em transação são determinados pela oferta e a demanda dos clientes, sem qualquer interferência no processo.

Quais são os tipos de ativos digitais que mais se destacam no mercado?

Não basta saber apenas o que é um ativo digital, também é importante ter em mente que esse mercado é diverso e oferece muitas possibilidades.

Segundo os dados da CoinGecko, estima-se que aproximadamente 16 mil criptoativos foram criados entre 2014 e 2021, contando inclusive aqueles cujos projetos foram cancelados.

Esses criptoativos podem ser compreendidos a partir de três categorias:

  • criptomoedas: moedas digitais registradas de forma descentralizada, cujas operações ocorrem por meio da tecnologia blockchain, totalmente independente de instituições estatais.
  • plataformas descentralizadas: funcionam, basicamente, como um contrato-padrão integrado em um sistema digital, que são imutáveis e, portanto, sem qualquer possibilidade de fraude.
  • tokens: representativos de bens em formato digital, que utilizam blockchains de outras criptomoedas para conceder propriedade ao comprador.

É certo que toda novidade, ainda mais relacionada ao mercado financeiro, pode gerar certa desconfiança, especialmente em quem segue uma linha tradicional. 

Algo muito debatido entre os especialistas e analistas desse mercado é se os ativos digitais são apenas uma moda passageira.

De acordo com a Deloitte, empresa renomada de consultoria tributária, a adesão dos ativos digitais faz parte do objetivo da indústria de serviços financeiros de modernizar e distribuir seus produtos e garantir a sobrevivência do mercado no futuro.

Isso significa que, com a integração do mundo digital e das finanças descentralizadas, os criptoativos devem movimentar ainda mais o mundo das finanças. 

O interesse por criptoativos está crescendo desde 2020, como indica um estudo realizado pela Chainalysis, consultoria que fornece serviços de análise de dados para redes blockchain: a procura ao redor do mundo por ativos digitais cresceu 880%, em 2020.

Os ativos digitais se tornaram acessíveis para qualquer pessoa interessada no mercado criptoativo, e isso só foi possível graças à democratização da tecnologia e à transformação digital.

Agora é hora de saber quais são os ativos digitais mais populares desse mercado, certo? 

De acordo com o ranking elaborado por Marcos Viriato, CEO da fintech Parfin, estes são os criptoativos que dominam o topo desse mercado:

  • Bitcoin (BTC) se estabelece no topo, a moeda mais popular do mercado criptoativo atingiu uma valorização de 116% no ano de 2021;
  • Ethereum (ETH) ocupa o segundo lugar, que atingiu alta de 419% no mesmo ano, especialmente devido às melhorias realizadas dentro da plataforma. 

4 passos para avaliar o projeto de um ativo digital 

Agora que você já sabe o que é um ativo digital e também a variedade disponível no mercado, é importante entender como avaliar o projeto de um criptoativo.

Inclusive, devido à alta volatilidade do mercado, saber separar projetos bons, promissores dos maus e duvidosos projetos, é imprescindível.

Então, antes de mergulhar de cabeça no projeto de algum ativo digital do seu interesse, tenha em mente os seguintes passos.

1. Estude o objetivo do projeto

Todo ativo de origem confiável deve ter um projeto com objetivo bem definido para o uso da tecnologia blockchain.

O primeiro passo, portanto, é estudar este objetivo, assim como a história, propósito e características do ativo que você pretende adquirir.

2. Pesquise quem está por trás do projeto

Quem são os desenvolvedores do projeto do ativo que chamou a sua atenção? Essa é uma pergunta muito importante para levantar um histórico de credibilidade da equipe no universo criptoativo.

3. Descubra quem são os parceiros do projeto

Descobrir quem são as empresas e os aportadores que estão ligados ao projeto também é outra forma de avaliar a credibilidade de um ativo no mercado.

Afinal, dificilmente gigantes da tecnologia como a Meta, a Microsoft ou o Google estariam envolvidos com projetos de criptos duvidosos.

4. Estude as corretoras que comercializam esses projetos

Como os criptoativos são comercializados de forma descentralizada, não é possível adquiri-los por meio de um banco convencional.

Existem corretoras especializadas em criptoativos e legalizadas que são responsáveis pela sua comercialização.

Por isso, faça uma pesquisa detalhada para descobrir quais são as corretoras confiáveis disponíveis no mercado.

Assim, você não corre o risco de cair de cabeça em um projeto duvidoso, pois uma boa corretora garantiria a segurança de não cair em golpes ou projetos falaciosos. Este artigo foi escrito pela Bitso, exchange internacional de criptomoedas na qual você pode comprar, guardar e vender os seus criptoativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.