Energia Solar e os Investimentos em ESG

Como uma fonte energética limpa, silenciosa e renovável, a energia solar tem um papel cada vez mais relevante quando o assunto é investimentos de ESG. 

Os investimentos com critérios ambientais, sociais e de governança (ESG) representam uma significativa mudança na gestão de recursos em duas décadas e vem revelando mudanças significativas no mundo dos negócios.

As entradas em fundo ESG subiram 73% no ano de 2021 em comparação com 2020, de acordo com o Relatório de 2021 do Bank of America. De acordo com o relatório, a cada oito fundos existentes, um possui foco em ESG, para cada US$3 investidos, US$1 foi destinado aos fundos ESG.

De acordo com o Relatório de 2020 da PwC, até o ano de 2025, 57% dos ativos de fundos da Europa estarão em fundos ESG, o que corresponde a 7,6 trilhões de euros. Além disso, 77% dos investidores afirmaram que possuem em seu planejamento a compra de fundos ESG nos próximos anos.

Qual o conceito de ESG e seu impacto no mundo financeiro

O ESG (em inglês Environmental, Social and Governance) é uma sigla em inglês para determinar um conjunto de práticas e padrões adotados por uma empresa que definem se suas ações promovem o bem estar social, ambiental e de gerenciamento. 

O ESG reúne três pilares de desenvolvimento:

  • Environmental – Meio ambiente;
  • Social;
  • Governance – Governança.

Estes pilares são utilizados para avaliar se a empresa possui perspectiva de sustentabilidade além das métricas financeiras. Elas ajudam os investidores a calcular se a empresa é uma opção viável em relação à políticas sustentáveis, capaz de gerar impactos positivos para o meio ambiente, meio social e setor financeiro.

O ESG vem para mostrar que apenas interesses financeiros não são mais suficientes para o mercado, mas é preciso aliar crescimento financeiro ao propósito. E dentro desse propósito, é importante que a empresa valide a sua consciência em relação ao impacto que exerce no meio ambiente, na influência social e na transparência de sua organização.

Dessa forma, é possível inferir que o ESG é um termômetro que mostra aos investidores o quanto a empresa está comprometida com a agenda dos outros países, atitude extremamente relevante para a governança. Se relaciona também a uma empresa que está a par dos desafios e tendências globais e que sabe como direcionar suas políticas para acompanhar a inovação.

Sobre os critérios para avaliação do cumprimento dos parâmetros de ESG, ainda não existem critérios padronizados e definidos, uma vez que nem todas as empresas vão apresentar atuações semelhantes em todos os níveis. O foco de atuação de uma empresa vai depender de vários fatores, como a sua atuação no mercado.

O fortalecimento do ESG indica o quanto uma determinada empresa está comprometida em minimizar os danos ambientais, adotando uma postura responsável em relação ao seu ambiente e as pessoas que nele estão, incluindo os processos administrativos.

Um dos fatores que apontam para o fortalecimento desses princípios de mercado foi o pronunciamento do presidente da BlackRock, no ano de 2020. Ele afirmou que a companhia, a maior gestora de investimentos da atualidade, não mais investiria em setores que tinham participação na liberação massiva de CO2.

Esse fato reforçou a conduta adotada pelos gestores atuais, que consideram cada vez mais os princípios do ESG nos seus processos de investimentos.

Energia Solar e os Requisitos do ESG

Como vimos, o ESG tem como principal objetivo, trazer consciência e posicionamento das empresas frente às questões relacionadas à sustentabilidade.

O ESG tem ganhado cada vez mais destaque quando o assunto é geração de energia, uma das esferas de maior impacto no meio ambiente. Dessa forma, a energia solar é um fator relevante quando se trata de avaliar critérios de ESG.

A energia solar é uma fonte renovável, limpa, não causa desmatamento e nem emissão de carbono, possui baixo custo e demanda pouca manutenção. Além disso, no Brasil, existe um potencial muito vasto para produção desse tipo de energia. De acordo com o Atlas Brasileiro de Energia Solar, ocorre diariamente no nosso território, a incidência de 4.444 Wh/m2 a 5.483 Wh/m2.

Existe a possibilidade de instalação de sistemas fotovoltaicos em vastas áreas do nosso território, como as que estão descoladas, telhados, garagens e a criação de usinas solares.

Em 2020, o Brasil passou a fazer parte do grupo de 20 países com maior capacidade de geração de energia solar no mundo. Atualmente, a capacidade de geração de energia em todo o território nacional, em crescente expansão, ultrapassa o marco de 6,4 gW de potência, crescimento de 40% desde 2020.

Além do critério ambiental, a energia solar também abrange o aspecto social do ESG, com a sua capacidade de gerar empregos. A área, atualmente, é responsável por criar um terço dos empregos renováveis no mundo.

Sendo assim, o investimento na instalação de sistemas de energia solar é um setor com enorme potencial para expansão e fortalecimento das empresas que possuem políticas sólidas de ESG.

E você, já sabia desse tipo de investimento e da importância da energia solar nesse aspecto?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.